Notícias

Estudante de São Paulo é 1º colocado em Medicina na Unesp

Com um ano de preparação no Curso Poliedro,  Lucas de Mello Queiroz, de 18 anos, também foi aprovado na 9ª colocação do vestibular da USP Pinheiros

O dia 1º de fevereiro de 2019 ficou marcado na vida de Lucas de Mello Queiroz, de 18 anos, como um dos mais importantes. Foi a data em que ele adentrou ao prédio da faculdade de Medicina da USP Pinheiros para realizar um tour monitorado disponibilizado aos estudantes aprovados. Nono colocado no ranking de Medicina da Fuvest, foi também neste dia que Lucas soube que foi o 1º colocado no vestibular de Medicina na Universidade Estadual Paulista – (Unesp 2019), de Botucatu (SP).

Aluno do Curso Poliedro de São Paulo, ele teve uma rotina puxada de estudos ao longo de 2018 para alcançar o sonho da aprovação em Medicina. Além dele, os outros cinco primeiros colocados da lista da Unesp são alunos das unidades sede do Poliedro, marca educacional reconhecida pelo alto índice de aprovações em universidades públicas. No total, foram 40 aprovados da marca educacional em Medicina na Unesp (38,8% das vagas).

A vontade de optar pela Medicina como carreira a ser seguida surgiu para Lucas já na infância. “Cresci vendo meu avô ser médico e sempre me inspirei muito nele desde pequeno! Quando as inscrições dos vestibulares chegaram, não tive dúvidas de que era isso mesmo que eu gostaria de estudar. É difícil pensar em outra profissão”, afirma o estudante, que não imaginava que alcançaria tais colocações.

Ele escolheu o Poliedro para se preparar para o concorrido vestibular de Medicina por indicação de um professor do Ensino Médio. “Tive uma rotina puxada, frequentei praticamente todas as aulas durante o ano, faltei pouquíssimo. O Poliedro foi imprescindível para a minha aprovação. O que mais me agradou foi a organização imensa que os professores e a coordenação têm. Como aluno, você não precisa pensar no que você tem que fazer, porque recebe todo o suporte necessário”, conta.

No ano de cursinho, ele abdicou de muitas atividades para conseguir focar nos estudos. Não teve tempo para esportes, nem mesmo vôlei, atividade que gostava. O estudante também deixou de assistir a seriados porque os episódios costumam ser longos, mas seguiu acompanhando alguns canais do Youtube que gostava. Nos momentos de descanso, o que mais o ajudou foram as conversas com a namorada. “Como raramente tínhamos como assunto o vestibular, me ajudava muito a tirar esse peso constante que sentimos o ano todo”, diz.

Outro ponto importante para a conquista de Lucas foi a correção dos simulados feita ao longo do ano. O P+, aplicativo do Sistema de Ensino Poliedro, indicava a ele exatamente o que tinha errado e como o conteúdo poderia ser estudado para efetuar a correção. “Todo o trabalho, cansaço e foco de 2018 fizeram toda a diferença”, conclui.